Cinderela ao contrário


À meia-noite despeço-me do mundo

e corro a abrir a porta dos meus sonhos.

Às vezes com a pressa, deixo cair

na escada um sapatinho.

Quando de manhã alguém mo traz, dizendo:

deixas o sapato em qualquer lado,

volto a calçá-lo, distraidamente,

e vou ficando, outra vez, desencantado.

Texto de : Álvaro Magalhães

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: